A Vida de São João Batista, Profeta

Atualizado: 3 de jul. de 2021



São João Batista nasceu em Aim Karim milagrosamente, esta cidade de Israel fica à 6 quilômetros do centro de Jerusalém. Seu pai era um sacerdote do templo de Jerusalém, seu nome é Zacarias. Sua mãe foi Santa Isabel, que era prima da Virgem Maria, mãe de Jesus. São João Batista foi consagrado a Deus desde o ventre materno.


São João Batista é muito importante no Novo Testamento, pois ele foi o precursor de Jesus, anunciou sua vinda e a salvação que o Messias traria para todos. João Batista era a voz que bradava no deserto e anunciava a chegada do Salvador. Ele é também o último dos Profetas. Depois dele, não houve mais nenhum profeta em Israel.


A mãe de João Batista, Santa Isabel, era idosa e nunca tinha engravidado. Todos a tinham como estéril. Mas, então, o anjo Gabriel apareceu a Zacarias quando este prestava seu serviço de sacerdote no templo e anunciou que Isabel teria um filho e que este deveria se chamar João. Zacarias não acreditou e ficou mudo. Pouco tempo depois, Isabel engravidou como o Anjo havia dito.


Nesse mesmo tempo, o anjo apareceu também a Maria e anunciou que ela seria a mãe do Salvador. Então, Maria foi visitar Isabel, pois o anjo lhe havia dito que Isabel estava grávida. "Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá. Entrou em casa de Zacarias e saudou Isabel. Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. E exclamou em alta voz: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança [São João] estremeceu de alegria no meu seio" (Lc 1,40-44).


Quando São João Batista tornou-se adulto, percebeu que chegara sua hora. Naquela época, decidiu morar no deserto para rezar, fazer penitências e pregar para que as pessoas se arrependessem, neste tempo "João andava vestido de pelo de camelo e trazia um cinto de couro em volta dos rins, e alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre" (Mc 1,6). Vivendo uma vida extremamente árdua e com muita oração, passou a ser conhecido como profeta, homem enviado por Deus. Ele sempre anunciava a vinda do Messias; batizava a todos que se arrependiam e multidões sempre iam ver suas pregações no rio Jordão.


Por causa de seu carisma, algumas vezes o povo pensava que São João Batista era o Messias. Mas ele sempre dizia: "Eu não sou o Cristo, eu não sou digno de desatar nem a correia de suas sandálias" (Jo 1,27). Em outra passagem, ele disse:

"Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" (Jo 1, 29).

Quando o próprio Jesus, o verdadeiro Salvador, foi ao encontro de João Batista para ser batizado, São João disse: "Eu é que devo ser batizado por ti, e tu vens a mim?" (Mt 3,14). Mas Jesus confirmou e São João Batista batizou Jesus. Assim começara, Jesus, sua vida pública.


Nas pregações de São João, ele não poupava o rei local, Herodes Antipas. João denunciava a vida adultera do rei. Herodes tinha se unido a Herodíades, sua cunhada. São João Batista denunciava também a vida desregrada de Herodes em seu governo.


São Marcos, em seu Evangelho, narra que Salomé, filha de Herodíades, dançou para Herodes. O rei ficou deslumbrado com ela e disse que daria tudo o que lhe pedisse. Com efeito, Salomé fala com sua mãe e pede a cabeça de São João Batista numa bandeja. Herodes, triste, fez como havia prometido diante dos convivas (Cf. Mar 6.14-29).




 

Esta é a vida de um homem santo, profeta e mártir, na qual não calou-se para o mundo, mas calcou-os de forma heroica. Seu exemplo não pode ser esquecido e nem escondido; muitos na Igreja foram mártires em situações semelhantes por denunciarem a imoralidade de sua época. Hoje, esta imoralidade é maior ainda, a imoralidade e perversão está em todos os lugares; filmes, séries, desenhos, músicas, teatro, na escola, na rua, no trabalho, etc., tudo ferindo de forma inimaginável o coração de Deus, calcando aos pés o Evangelho, profanando o altares, destruindo as igrejas; há hereges por todos os lados, maçons, comunistas, judeus, muçulmanos, protestantes com suas doutrinas diabólicas. Que fazemos nós em reparação ao Sacratíssimo Coração de Jesus? Ele que é tão ferido neste período da Grande Apostasia. Neste período onde o mundo tornou-se uma segunda Sodoma e Gomorra, é lamentável e vergonhoso ter ainda verdadeiros católicos que não buscam a santidade e vivem conforme as suas vontades, alimentando o seu corpo com os prazeres do mundo, da carne. Estas pessoas estão apenas aumentando a sua pena no Inferno, "onde o seu verme não morre e o fogo não se apaga" (Mc 9,44). São Tomás de Aquino disse que "o verme que nunca morre" é o remorso de consciência, pelo qual o réprobo será atormentado eternamente no Inferno.


Se tu não queres ser como esses cegos e obstinados, que estão já com um pé no inferno levando uma vida de pecado, mas desejam desejam a própria salvação e santificação, te digo: guarde os Mandamentos de Deus e de sua Santa Igreja, reze o santo Rosário (15 mistérios) diariamente, faça a oração mental ao menos 30 minutos, tenha uma verdadeira devoção a Virgem Maria, persevere e evangelize, não apenas com palavras, mas com obras. Faça uma boa confissão com um sacerdote ordenado validamente. Não mantenha comunhão com Roma apóstata e seus antipapas com as suas doutrinas diabólicas. Rejeite o Vaticano II e converta-te a verdadeira fé católica tradicional, fora da qual não absolutamente salvação.

29 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo