Modéstia Masculina e Feminina

Atualizado: 10 de ago. de 2021


Que é modéstia?

R. Modéstia é uma virtude moral, e uma parte da virtude da temperança, pelo qual uma pessoa traz moderação para suas ações externas e para dentro (na medida em que pode ser refletida por certos sinais exteriores), a fim de mantê-las sob o controle da razão correta (Summa Theologica, Part. II-II Quest. 160, Art. 2). São Tomás de Aquino enumera quatro tipos de modéstia em matéria comum, que são obrigatórias para todos:



A primeira é o movimento da mente em direção a alguma excelência, e este é moderado pela humildade.
A segunda é o desejo de coisas relativas ao conhecimento, e esta é moderada pelo estudo cauteloso que se opõe à curiosidade.
A terceira refere-se a movimentos corporais e ações (incluindo palavras), que se requer que sejam feitas de forma conveniente e honestamente, se agirmos a sério ou numa brincadeira [em jogos].
A quarta se refere aparência exterior, por exemplo, vestir e coisas do gênero (Ibid.).

Se todos os quatro aspectos da modéstia são igualmente importantes, não resta nenhuma dúvida de que os dois últimos, que não têm nome especial, são mais comumente entendidos pelo termo modéstia. Além disso, é mais especialmente o último que é referido por modéstia, por causa da desordem da natureza humana caída, que é mais facilmente derrotada pela atração desordenada para o mais baixo tipo de imodéstia.

São João Batista de La Salle diz-nos que:

“a cortesia e o pudor exigem que se cubram todas as partes do corpo, exceto a cabeça e as mãos e pés. É indecente ter o peito descoberto, os braços nus, as pernas sem meias. Até mesmo é contra a Lei de Deus descobrir algumas partes do corpo que o pudor bem como a natureza obrigam a manter escondidas” [1].

Já que devemos considerar nossos corpos como templos vivos em que Deus quer ser adorado em espírito e em verdade, e tabernáculos que Jesus Cristo se escolheu para sua morada, devemos também ter-lhes muito respeito, em vista de tão belas qualidades que possuem. E esta consideração é que nos deve levar especialmente a não tocá-los e mesmo a não os olhar sem necessidade indispensável. É bom acostumar-se a sofrer vários pequenos incômodos, sem se voltar, esfregar, nem arranhar, sem se remexer e sem manter outra atitude que seja indecente, pois todas essas ações e posturas inconvenientes são completamente contrárias ao pudor e à modéstia. Ainda mais contrário à cortesia e a honestidade é tocar ou ver outra pessoa, especialmente se é do sexo diferente, o que Deus proíbe ver em si mesmo. Daí resulta que é muito indecente olhar o seio de uma mulher, e mais ainda tocá-lo, e nem sequer é permitido olhar fixamente no rosto dela.

Claramente os homens têm um direito igual ao das mulheres de evitar palavras ou ações provocativas e evitar qualquer tipo de vestuário que possa mostrar a sua pessoa ou seu corpo, levando à vaidade. Como as mulheres, eles são proibidos, portanto, de mostrar seus corpos em público de uma forma indecorosa, ou de uma forma que pode produzir uma atração desordenada no sexo oposto. Os homens devem sempre estar vestidos praticar exercícios, nunca sem camisa. Os shorts ou bermudas não devem ser usados em público (exceto quando não há outra roupa ou um motivo justo), mas só serão utilizados para o esporte, e não devem ser muito curtos ou apertados.

A razão pela qual os documentos da Igreja sobre o assunto referem-se a modéstia das mulheres, é porque a natureza de uma mulher faz dela muito mais propensa à tentação da vaidade, para mostrar o seu corpo, e a natureza de um homem faz dele muito mais tentado por ver isto. Consequentemente, as infrações mais graves e mais perigosas contra o pudor, entendido em seu quarto e mais restrito sentido, ou seja, contra a pureza, são feitas por mulheres.

É por esta razão que a Igreja tem sido muito mais inflexível sobre o vestuário da mulher, como na seguinte citação, em 15 de agosto de 1928 o Papa Pio XI, na câmara consistorial, “denunciou uma vez mais o perigo (dos vestidos imodestos) os quais, pela sua sugestiva fascinação, ameaçava muitas almas imprudentes”.

Em 23 de agosto, somente oito dias depois, o Santo Padre ordenou que a Sagrada Congregação do Concílio publicasse um documento resposta a todos os Bispos da Itália inaugurando a “Cruzada contra as Modas Imodestas”.

Os Bispos deveriam comunicar as injunções específicas desta carta, de modo que fossem aplicadas “em todas as escolas, academias, escolas dominicais e laboratórios dirigidos por mulheres religiosas”, para garantir “a perfeita conformidade de conduta entre todos os institutos de religiosas na diocese”.

Para garantir esta “conformidade”, o Papa Pio XI, em 24 de setembro de 1928, somente um mês depois, ordenou que a Sagrada Congregação dos Religiosos publicasse outra carta a respeito da Cruzada contra as Modas Imodestas. Foi nesta carta que os seguintes padrões foram dados:

“Nós dizemos que uma veste não pode ser declarada modesta se estiver com o colo abaixo de dois dedos da linha do pescoço, se não cobrir os braços ao menos até os cotovelos, e que escassamente alcance um pouco abaixo dos joelhos. Além do mais, vestidos de material transparente são impróprios.

E continua em um decreto da Sagrada Congregação do Concílio de 18 de janeiro de 1930:

Sua Santidade, Pio XI, nunca deixou de inculcar na palavra e na escrita o preceito de São Paulo (I Tim 2, 5-10) “As mulheres também em vestuário decente; adornem-se com modéstia e sobriedade...”, “como mulheres que fazem profissão de piedade com boas obras.”

E em muitas ocasiões, o mesmo Sumo Pontífice reprovou e condenou vigorosamente a imodéstia no vestir que hoje está em voga em todos os lugares, até mesmo entre as mulheres e meninas que dizem “católicas tradicionais”, isto é uma prática que fere gravemente a virtude, e que leva também a ruína eterna de sua e de outras almas.

Há uma segunda razão pela qual a modéstia no vestir é especialmente aplicável às mulheres acima dos homens. É que há uma forma especial de imodéstia que é característica de nossos tempos modernos, e é a imodéstia das mulheres vestindo roupas masculinas, principalmente calças e shorts. Isso prejudica a percepção psicológica que uma mulher tem de si mesma e de sua diferença do homem, que por sua vez a desfeminiza, corrói a relação natural entre homens e mulheres, remove a defesa da excessiva familiaridade, e, eventualmente, degrada as relações entre homens e mulheres para o nível da sensualidade. É esta forma de imodéstia que é, em última análise, de longe, a mais destrutiva das relações humanas e da virtude da pureza.

O QUE DEVE SER FEITO COM AS ROUPAS IMODESTAS?

É necessário desfazer-se imediatamente de tudo o que for imodesto e não pode ser adaptado de nenhuma maneira. Quando trata-se de mulheres: vestidos curtos e justos demais, blusas de alças, calças (jeans, principalmente), shorts, bermudas, blusas com abertura nas costas (frente única), etc. Estas são algumas peças totalmente imodestas e para elas não há adaptação possível. Quando trata-se de homens: calças rasgadas, vestimentas efeminadas, etc. HOMENS E MULHERES NÃO PODEM VESTIR ROUPAS TRANSPARENTES, APERTADAS E/OU COM MUITOS ENFEITES E EXAGEROS. É PROIBIDO VESTIR ROUPAS COM ESTAMPAS IMPURAS E/OU DE PERSONAGENS DE DESENHOS, JOGOS, FILMES, BANDAS SECULARES ETC. NÃO-CATÓLICOS. TUDO O QUE É IMORAL E CAUSA ESCÂNDALO É PROIBIDO. É NECESSÁRIO JOGAR TUDO FORA. Lembrando que se desfazer de uma peça não significa dar de presente a alguém ou vender, pois assim outra pessoa usaria a roupa imodesta. É NECESSÁRIO JOGAR TUDO FORA. Obs: Você pode antes de jogá-las fora, tirar os botões ou partes do tecido para serem reutilizados de alguma outra forma. Nós devemos vestirmos com modéstia, simplicidade e pobreza. Não vos digo que deveis usar roupas rasgadas e com remendos, mas que deves vestir-se sem vaidade. Diz São Cipriano de Cartago:


“Se te enfeitares com vaidade e exagero para atrair os olhares dos outros, não digas que és interiormente casta e pudica.”

Santo Efrém, segundo o testemunho de São Gregório de Nissa, era tão modesto, que já a sua vista estimulava à devoção, e não se podia vê-lo sem se sentir levado a se tornar melhor. Imitemos este grandioso exemplo. O homem, assim como a mulher, devem seguir as regras do pudor, da castidade e da higiene, e, além disso, devem ter sempre presente qual é o seu papel e missão na Criação: a santificação!

PADRE PIO DE PIETRELCINA SOBRE A MODÉSTIA

Padre Pio não tolerava vestidos curtos ou com decotes baixos, saias justas, condenava muito as mulheres que usavam roupas de homem (calças compridas, calças jeans), ele também proibia suas filhas espirituais de vestirem meias-calças transparentes.

Certo dia, uma vendedora de calças dona de uma loja de varejo em Vancouver foi se confessar na Itália com Padre Pio e teve sua absolvição foi recusada:

“Ele ordenou que ela voltasse para casa no Canadá e se livrasse de todo seu estoque, e não desse qualquer um dos itens para as pessoas que poderiam usá-los, e se ela quisesse sua absolvição, poderia voltar a Itália e recebê-la, só depois que ela realizasse impiedosamente suas ordens” [2].

Bermudas, shorts, e mangas curtas, até em crianças não era aceito por ele. Certo dia, um homem estava indo para a confissão de (camisa) manga curta, e o Padre Pio disse-lhes:

Ou alongue as suas mangas ou encurte seus braços” [3].

Outro dia disse: “A Igreja é a casa de Deus. É proibido para os homens entrar com os braços nus ou usando shorts. É proibido para as mulheres entrarem usando calças, sem um véu sobre sua cabeça, com roupas curtas, decotes baixos, roupas sem mangas ou vestidos imodestos”. Repreendeu com dureza mesmo aquelas mulheres que para aparecem à sua frente, abriam o fecho da saia para puxá-la para baixo e fazê-la parecer mais longa. Muitas vezes ouvi frases como: “Palhaça”, “vista-se como uma cristã!”, “desgraçada, vá se vestir!”, “serre seus braços”, “porque você sofre menos do que aqueles que sofrem no Purgatório”, “a carne descoberta vai queimar!”

“Uma garota de mini-saia foi informada que era preciso de um vestido maior para se confessar com o Padre Pio. Ela foi na loja com a mãe comprar as roupas apropriadas. Olhando a si mesma no espelho com o novo vestido ela disse: “Se eu o meu namorado me vesse assim ele iria pensar que eu sou um palhaço”. Quando a vez dela de se confessar chegou e a portinhola abriu ela ouviu “Vai embora! Eu não confesso palhaços” [4]. Decidiram pregar uma placa na porta da igreja:

“Por desejo explícito do Padre Pio, A MULHER DEVE entrar no confessionário VESTINDO SAIAS PELO MENOS 20 CENTÍMETROS ABAIXO DO JOELHO. É proibido emprestar um vestido longo na igreja para usá-lo para a confissão” [5].

MODÉSTIA FEMININA*

Segue-se algumas dicas simples para que você não caia em erros:

1. Cuidado com saias de tecido fino demais: Se a saia longa não tiver forro, adicione um forro embaixo, escolha modelos evasê que tem maior quantidade de tecido, assim evita que marque a silhueta, que fique escorrido demais ou que marque a roupa íntima;

2. Cuidado com o comprimento das saias: Escolha saias e vestidos de tecidos mais consistentes: (sarja, spandex, oxford, por exemplo), e o forro mais uma vez deve ser lembrado! Uma saia godê ou evasê abaixo dos joelhos (um palmo) com tecido mais grosso como sarja + forro certamente não marcará a roupa nem o corpo e é impossível o vento levantar. Quando a saia for pequena (isto é, não for abaixo de 20 centímetros dos joelhos), deve-se usar meias para cobrir as pernas.

3. Use forro: Ele é tão importante que você ao usá-lo notará a diferença, não somente para deixar a saia modesta, mas também muitos outros motivos: Evita transparências; evita marcar a roupa de baixo dando volume à saia, e assim a mulher fica mais feminina, delicada e a roupa não fica “escorrida” no corpo; não permite que o tecido grude no corpo quando se senta; faz a saia ter um pouco de “peso” para o vento não levantar, etc. O forro é indispensável, é ele um ponto importante para a modéstia. 4. As mulheres não podem vestir calças: A calça é uma vestimenta feita para o homem. As primeiras mulheres começaram a usar calças após a Revolução Francesa como forma de protesto, as francesas diziam que as autoridades não podiam mais controlar o que podiam ou não usar. A famosa calça jeans só surgiu em cena no ano de 1960, quando as mulheres hippies começaram a utilizá-las. Mas, virou moda, foi liberada e começou a ser produzida em massa nos Estados Unidos. Na década de 80, o uso de calças femininas se popularizou a nível mundial, momento em que passou a surgir a variedade de opções da moda feminina. Neste período as calças ganharam outros tecidos, cores, texturas ou estampas, além de novos cortes, bolsos e formatos. A roupa que a mulher deve usar é a saia ou vestido. A calça além de ser uma vestimenta feito para o homem, a Sagrada Escritura condena:

Deuteronômio 22:5: “Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus”.

As mulheres que usam a calça estão despertando a sensualidade; se for muito apertada cavada ou transparente tornando-a assim extremamente sensual chamando a atenção em demasia para si. Isto é fruto da carne, donde vem o pecado da lascívia, impureza etc. (Gálatas 5:19) que é gerado. A modéstia é o décimo fruto do Espírito Santo, e certamente deve ser observado, pois “toda árvore que não der bons frutos será cortada e lançada ao fogo” (Mateus 7,19).

MODÉSTIA MASCULINA

Segue-se algumas dicas simples para que você não caia em erros:

1. Nunca use roupas transparentes (e se vestir, deve-se usar forro, por exemplo uma camisa por baixo ).

2. Não use camisetas (regatas) e golas muito cavadas. O limite é dois dedos abaixo do pescoço.

3. Os homens não podem vestir roupas apertadas, principalmente calças.

4. Use sempre camisas de mangas cumpridas ou blusas. Se em sua cidade faz muito calor, tu podes tapar os braços até os cotovelos.

5. Nunca usar roupas de mulheres ou afeminadas, por mais que seja só uma brincadeira.

6. Observe bem as estampas: Nunca use estampas de pele de animal (onça. cobra, etc.) ou estampas de jogos (desenhos animados, etc.) ou satânicas (caveiras, etc.). O ideal seria roupas de tecido liso ou com estampas boas e conforme a moral católica.

7. Quando fores comprar roupas, não compre roupas modernas, isto é, o que está na moda (quando vai contra a modéstia e é imoral), mas dê sempre preferência a roupas sociais, como por exemplo: camisa social, calça social, suéter, blazer, terno, etc. Não seria bom também usar correntes de prata e boné etc.

8. Não fique sem camisa, muito menos com apenas a roupa íntima diante dos outros, mesmo que ainda homens.


 

Referências:

[1]. São João Batista de La Salle, Regras de Cortesia e de Civilidade Cristã, cap. 13.

[2]. Anne McGinn Cillis, Arrivederci, Padre Pio, A Spiritual Daughter Remembers.

[3]. Io… testimone del padre, Modestino da Pietrelcina, p. 54.

[4]. The Padre “saint” Pio of Pietrelcina. His mission to save souls. Testimonies. San Giovanni Rotondo: Edizioni Padre Pio - Iasenzeniro, F. M. (2006), p. 152.

[5]. Dorothy Gaudiose, Prophet of the People, pp. 191-192.

*Algumas informações sobre a modéstia feminina fora retirado do blog apostolichrist.com

141 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo